809-565-3015 | info@ccitprd.com

    Mapa: Portugal está entre as economias que mais recuperam em 2021 em todo o mundo

    Elecciones Portugal 2021
    Elección para el Presidente de la República 2021
    19 enero, 2021
    Destino Portugal 2021
    Portugal, un ejemplo de cómo se revierte un destino
    26 enero, 2021
    Ver Todo
    mapa economía 2021

    mapa economía 2021

    Depois de um ano marcado por uma crise pandémica, que rapidamente se transformou numa das maiores crises económicas de sempre, espera-se que os planos de vacinação já em vigor sejam capazes acabar com a pandemia e ajudar a uma recuperação económica. Mas, para alguns países, os níveis continuarão abaixo dos registados em pré-pandemia.

    De acordo com as previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI) há até vários países que vão crescer dois dígitos em 2021, mas há ainda outros em que a economia continuará sem dar sinais de resiliência no período em análise.

    No caso de Portugal, a instituição internacional espera que a economia nacional seja capaz de registar uma recuperação de 6,5% no ano que agora inicia, o que representa o 27.º maior crescimento económico entre os 193 países avaliados e representados na Organização das Nações Unidas (ONU).

    Depois de uma esperada contração de 10% em 2020, o FMI aponta para um crescimento igualmente robusto, mas para patamares ainda muito abaixo do período que antecedeu a pandemia. O choque provocado por esta pandemia é, por isso, muito superior ao sentido nos anos entre as crises de 2009 e 2014. Esta previsão do FMI é mais pessimistas do que a do Banco de Portugal, que aponta para uma queda de 8,1% no PIB (produto interno bruto) no ano que agora terminou.

    Em comparação com os pares na Europa, Portugal deverá registar a terceira maior recuperação económica entre os 27 Estados-membro da União Europeia (UE), apenas superado pela vizinha Espanha (7,2%) e pela Eslováquia (6,9%). O FMI prevê que os países conheçam contrações económicas de 12,8% e 7,1% em 2020, respetivamente.

    Mas há países que irão conseguir uma recuperação ainda mais pronunciada, bem acima dos 10%. É o caso da Líbia (76%), de Macau (23,9%), das Maldivas (12,7%) e das Fiji (11,5%). Nos mercados emergentes o destaque vai para a China, a segunda maior economia do mundo, que mesmo tendo sido o epicentro da pandemia conseguirá registar uma expansão económica de 1,9% 2020, com o FMI a prever um crescimento de 8,2% em 2021. A Índia, outro país com um grande potencial económico, viu a sua economia cair mais de 10%, mas conhecerá uma recuperação de 8,8% este ano.

    Do lado "negro" da tabela estão países como a Venezuela, cuja economia irá sofrer uma queda de 10% em 2021. Palau (-7,4%), Tonga (-3,5%) e Sudão do Sul (-2,3%) são outros dos países que ainda não conseguirão atingir crescimento.